sexta-feira, 17 de julho de 2015

XI Encontro Regional Sudeste de História Oral


Apresentação do Trabalho do Simpósio Temático: Memória, história oral e patrimônio imaterial


Estive presente no XI Encontro Regional  Sudeste de História Oral, sediado pela Universidade Federal Fluminense (UFF), na cidade de Niterói/RJ. No presente evento participamos do Simpósio Temático "Memória, História Oral e Patrimônio Imaterial, com o trabalho: "Memórias Quilombolas: O Bairro do Quilombo em São Bento do Sapucaí como Lugar Antropológico" e também participamos do Minicurso: "Educação, Memória e Patrimônio Imaterial: projetos de história oral em escolas e instituições".

Esteve comigo no evento o pesquisador e Prof. Tarcísio Bastos, nosso representante no Rio de Janeiro, e foram momentos de grande aprendizado, trocas e amadurecimentos acadêmicos. A Associação Brasileira de História Oral está de parabéns pela proposta de eventos, unindo em todo o território pesquisadores que desenvolvem pesquisas dentro da metodologia, que ainda esta crescendo em nosso país. O mais interessante é encontrar divergências regionais em como aplicar os métodos com a História Oral, principalmente no que se trata da transcriação. As inovações, os medos com a subjetividade do pesquisador, os moldes metódicos, as propostas teóricas: tudo caminhando para uma construção e reconstrução deste método proposto pelas novas linhas historiográficas.

A História Oral nos remete uma visão mais abrangente do estudo antropológico referente aos objetos de análise, colocando-nos a frente da subjetividade histórica. O evento nos proporcionou uma profunda reflexão sobre isto. Além deste ponto, o Minicurso ilucidou ideias acerca do trabalho do método em sala de aula, trazendo a tona as histórias escolares locais, um ponto de partida para que o aluno aprenda sobre sua própria história. Deixo aqui meus agradecimentos a todos os envolvidos no evento, bem como a parceria ao meu amigo e pesquisador, que juntos pudemos ainda mais pensar em métodos a serem aplicados em projetos do Instituto de Pesquisa Histórica e Ambiental Regional (IPHAR). 

Não podemos deixar de salientar o trabalho do Laboratório de História Oral (LABHOI) e Imagem, da Universidade Federal Fluminense, que apresenta projetos de grande importância, como Memórias do Cativeiro, Passados Presentes e outros, coordenado pela Profª Hebe Mattos, que também tive o prazer de conhecer. 

Abaixo links associados a nossa viagem:






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estou optando por moderar os comentários e não poderão mais ser anônimos!